Katia Aveiro orgulhosa por ter sido empregada de mesa e ter chegado a milionária com muito trabalho

Katia Aveiro orgulhosa por ter sido empregada de mesa e ter chegado a milionária com muito trabalho

A irmã de Cristiano Ronaldo, Katia Aveiro, está farta de ser criticada pelo dinheiro do irmão e decidiu recordar os tempos em que era empregada de mesa.

Links patrocinados

Nas últimas semanas, as irmãs de Cristiano Ronaldo têm sido alvo de duras críticas, após toda a polémica sobre o jogador durante o Mundial. As irmãs de Ronaldo saíram em sua defesa e acabaram por ouvir algumas “bocas” de portugueses, acusando Katia e Elma de não serem ninguém sem o irmão.

Katia Aveiro está farta de ouvir essas críticas e decidiu recordar os tempos que passou em Inglaterra, onde trabalhou como empregada de mesa.

Links patrocinados

“Esta sou eu, com 20 anos ( como empregada de mesa) em Inglaterra. Ontem recebi uma ofensa (aliás, tenho recebido nos últimos dias muitas, até), que se não fosse meu irmão, eu era uma ninguém e até hoje seria uma empregada de mesa, como se isso me ofendesse.

Leia Também: Ronaldo na Arábia Saudita para assinar com o clube árabe. Há imagens!

Sei que não preciso provar quem sou a quem só me vê nas redes socais ou na imprensa, aí o que vêm é tão pouco, mas vou explicar o orgulho que tenho em mim. Eu amo a minha história, sabem? Nessa altura, eu consegui juntar dinheiro para comprar um apartamento, fiz a carta de condução também com o dinheiro do servir à mesa, entre tantas coisas.

Também ajudei a minha mãe e os meus, nessa altura o meu irmão mais novo (que vocês conhecem bem) tinha 13 anos. Eu trabalhava 16 horas por dia e tinha meio dia de folga por semana. No meu primeiro ordenado, eu lhe comprei uns ténis que ele queria tanto e ainda lhe enviei um dinheiro escondido na palmilha dos ténis.

A vida mudou, sim, ele cresceu e os lugares mudaram um pouco, sim, mas a história de cada um não desmerece a do outro. É esse percurso na minha vida e dos meus que eu me espelho e que agradeço todos os dias da minha vida.

Eu era emigrante, sim, com muito orgulho, sem imaginar que anos depois iria naquele hotel como cliente. Construí tanta coisa que guardo até hoje como exemplo e com tanto orgulho.

Ajudei e fui ajudada pelos meus, era esse o lema da nossa vida e é até aos dias de hoje, uns pelos outros. Quem não entende isso ( eu compreendo a amargura e falta de compressão) mas contra isso não posso fazer nada, eles nunca saberão o que vivemos, então seria perda de tempo explicar o que só eles imaginam.

A única coisa que posso desejar é paz a essas pessoas, é sentir pena de não fazerem parte na nossa vida. Deus cuidou de tudo ao detalhe e só posso agradecer a ele e à minha família que tanto amo. Imprensa, comentaristas e fiscais de internet, sejam mais, porque sem isso, vocês continuarão a ser meros pedestres desta estrada que é a vida (e acreditem a lei da semeadura é implacável).

Um dia escrevo um livro (com ajuda para escrever, porque não sei. Também larguei os estudos bem cedo. O que sei, aprendi com a vida). Paz e amor é o que desejo para vocês. Do fundo do coração”, escreveu Katia Aveiro.

You may also like...